Campanha de vacinação contra a aftosa em Sertão Santana

A campanha de vacinação da aftosa que é realizado nos meses de maio e novembro de cada ano é obrigatória em todo o território nacional, e cabível de multa para os criadores que não vacinarem seu rebanho.

Guilherme Dumer, técnico agrícola, da Inspetoria de Defesa Agropecuária de Sertão Santana, em conversa com o Jornal Regional falou sobre a importância da vacinação para o rebanho gaúcho, que a última vez que foram registrados casos no RS foi no ano de 2001, quando o governo interrompeu a vacinação e então surgiu foco no estado, onde quase 10.000 animais foram sacrificados trazendo um prejuízo enorme para toda a cadeia de produção de carne bovina.

No município aproximadamente 60% dos produtores procuram a vacina na última semana, e no momento atual onde o estado está passando por uma crise, não foi realizada a aquisição de novas doses de vacinas, as doses disponíveis são do estoque do ano passado e ao término desta quantia os criadores terão que comprarem as doses, lembrando que a vacinação é obrigatória para todos os bovinos, sendo a responsabilidade de seus criadores.

Anualmente existem duas campanhas de vacinação, sempre em Maio e Novembro. Já faz aproximadamente 10 anos que as campanhas são realizadas sempre nestas datas, no mês de maio tem a vacinação do todo o rebanho, e em novembro um reforço para os animais abaixo de 24 meses.

Em Sertão Santana são declaradas em torno de 5.500 cabeças de gado. De acordo com Guilherme, a febre aftosa é uma doença causada por um vírus e então a transmissão dela é muito rápida, e se por exemplo, em um caminhão estiver um bovino contagiado, e este caminhão passar por um município, onde existam animais sem estarem devidamente vacinados, então aquele município será infectado.

A não vacinação dos animais pode acarretar em multa, para os criadores que descumprirem esta medida, a multa parte de 100 UPF (unidade padrão fiscal) acrescido de mais 2 UPF por animal não vacinado, sendo que a UPF tem valor fixado em R$ 17,14, assim um criador com um só animal que não vacina o mesmo durante a campanha pagará uma multa de R$ 1.748,28.

Por isso é importante destacar que os produtores procurem a inspetoria do seu município e regularize a sua situação até o final de maio, seja recebendo a vacina gratuita ou adquirindo ela em uma agropecuária cadastrada. O valor da vacina varia de uma agropecuária para outra, não tem uma regulamentação a respeito disso, afirma Guilherme. Os critérios são, estar bem refrigerada e na data da validade.

No município existem duas agropecuárias com a vacina para vender, sendo que a alguns anos atrás os criadores de gado encontravam muita dificuldade com a vacinação porque não existia agropecuária cadastrada no município, tendo a necessidade de se deslocar até outro município para realizar a compra hoje não temos mais esse problema, tendo o criador até a possibilidade de escolher a agropecuária de sua preferência.

Esse ano teve mudanças na campanha de vacinação, os criadores beneficiados com a vacina gratuita terão que terem no máximo dez animais, se o número exceder esta quantidade então os criadores terão que comprarem as doses e não serão beneficiados pelo programa.

É importante ressaltar que no mês de maio termina os dois prazos, a declaração anual do rebanho, e também fazer a vacinação da febre aftosa.
Estas informações também valem para os criadores de búfalos.aftosa-sertao-santana

       

Share

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *